qui. ago 11th, 2022

Deputados denunciam turismo ilegal de pesca durante piracema em MT e citam avião com 20 turistas

Valdir Barranco e Wilson Santos apontam inércia da Sema no combate à pesca no período de defeso.

Pesca está proibida nos rios de MT para a reprodução dos peixes — Foto: Tchelo Figueiredo

Pesca está proibida nos rios de MT para a reprodução dos peixes — Foto: Tchelo Figueiredo

Mato Grosso é um estado cercado por rios e nascentes, tendo o Pantanal, a maior planície alagado do mundo, em parte do seu território.

A pesca esportiva, na modalidade “pesque e solte”, é uma das molas propulsoras do turismo no Estado, contudo está proibida por conta do período de defeso, que começou dia 1º outubro e vai até o dia 31 de janeiro de 2022.

A piracema inclui os rios das Bacias Hidrográficas do Paraguai, Amazonas e Araguaia – Tocantins. É proibida a pesca, tanto amadora como profissional.

De acordo com o deputado estadual Valdir Barranco (PT), a falta de fiscalização dos rios no período da Piracema coloca em risco a vida dos peixes, que precisam se reproduzir para manter a diversidade nos rios.

Em requerimento apresentado à Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema), o deputado denuncia que em 28 de novembro “estava em um voo comercial, no qual também estavam cerca de 20 pescadores fortemente equipados”.

Segundo ele, os pescadores esportivos vinham de diversos estados brasileiros, e a prática seria rotineira, mesmo na época da Piracema.

“(…) a fim de requerer informações sobre quais as providências que a Sema têm tomado com relação a pesca esportiva no período de defeso”, diz trecho do requerimento.

O deputado Wilson Santos (PSDB) reforçou a denúncia, e acrescentou afirmando que há pousadas no Nortão e no Pantanal de Mato Grosso que permitem a pesca feitas por hóspedes no período da Piracema. Wilson também declarou que pescadores profissionais são vítimas de discriminação por parte da Sema e da Polícia Ambiental.

“O que o deputado Valdir denuncia, é verdadeiro. Apesar de estar no período da Piracema, aqueles que tem mais dinheiro estão conseguindo pescar no Pantanal e no nortão. Falta fiscalização, rigor, e tratamento igualitário. Tem muitos barcos-hotéis, pousadas, que permitem a pesca nessa fase da Piracema, enquanto aquele pescador de depende da pesca para sustentar sua família está impedido. Se ousar pescar, a Polícia Ambiental aparece, a Sema o prende. Prendem até o seu barquinho.

Jornalista e redator na Empresa O Pantanal OnLine, sob o número 0002048/MT

Qual é a sua Opinião?

Categorias