seg. nov 29th, 2021

Passageiros ficam feridos após pane em avião que sairia de MT para São Paulo

Os passageiros precisaram sair pela saída de emergência.

Natalya do Nascimento Campos ficou ferida. — Foto: Reprodução

Natalya do Nascimento Campos ficou ferida. — Foto: Reprodução

Passageiros ficaram feridos após uma pane em um avião da Azul que sairia do Aeroporto Marechal Rondon, em Várzea Grande, região metropolitana de Cuiabá, com destino a Guarulhos, em São Paulo, na madrugada desta quinta-feira (25).

Os passageiros precisaram sair pela saída de emergência.

Passageiros precisam descer pelo escorregador da saída de emergência — Foto: Divulgação

Passageiros precisam descer pelo escorregador da saída de emergência — Foto: Divulgação

A Azul Linhas Aéreas confirmou por meio de nota que a aeronave que realizaria o voo Cuiabá-Guarulhos teve sua decolagem abortada após a identificação de uma pane na aeronave, tendo o comandante do voo realizado o procedimento padrão previsto para esse tipo de situação.

“Os clientes evacuaram a aeronave por meio das saídas de emergência do avião. A Azul destaca que está prestando todo o apoio necessário aos clientes, lamenta o ocorrido e reforça que ações como essa são necessárias para garantir a segurança de suas operações”, diz a nota.

Avião da Azul Linhas Aéreas iria decolar no Aeroporto Marechal Rondon, em Várzea Grande. — Foto: Reprodução

Avião da Azul Linhas Aéreas iria decolar no Aeroporto Marechal Rondon, em Várzea Grande. — Foto: Reprodução

De acordo com funcionários do aeroporto, alguns passageiros teriam ficado feridos ao descer pelo escorregador inflável do avião, modelo Airbus 320. A aeronave não chegou a decolar.

O voo 2751 sairia de Cuiabá as 2h (horário local) e chegaria em São Paulo às 5h05.

Passageiros precisam descer pelo escorregador da saída de emergência — Foto: Divulgação

Passageiros precisam descer pelo escorregador da saída de emergência — Foto: Divulgação

No site do Aeroporto Marechal Rondon o voo aparece cancelado.

A passageira Juliana Amorim estava no voo e conta sobre o susto.

“As comissárias começaram a falar que ia explodir o avião, que era para evacuar o avião e foi aquele desespero. Ninguém conseguia abrir porta. Eu não sei quantas pessoas já tinham saído na minha frente, mas consegui sair, graças a Deus, sem nenhum ferimento. Saí pela pelo escorregador (inflável). A gente via que tinha muita gente machucada, porque quando descia no escorregador, a turbina estava ligada, então ventava e derrubava as pessoas”, relata.

Passageiros ficam feridos após pane em avião que iria para São Paulo

Ela também explica que escorregador de trás estava com maiores dificuldades.

“Não sei se é por causa da turbina ou porque não abriu tudo, ele não encostava no chão. Então tiveram pessoas que caíram lá de cima. Uma pessoa quebrou a perna ao cair”, afirma.

O passageiro Wenderson Campos conta que houve uma freada brusca e, em seguida, uma comissária de bordo gritou para que todos deixassem a aeronave pela saída de emergência.

“A comissária apareceu gritando, mandando todo mundo sair pela saída de emergência. O pessoal começou a empurrar e eu estava com uma criança. Todo mundo desceu pelo escorregador, atrás da turbina. Eu deixei meu bebê e voltei para pegar minha esposa e ela caiu e se machucou. Uma outra mulher quebrou o pé e uma grávida passou muito mal. Tinha apenas uma ambulância”, disse.

Natalya do Nascimento Campos ficou ferida. — Foto: Arquivo pessoal

Natalya do Nascimento Campos ficou ferida. — Foto: Arquivo pessoal

A mulher dele, Natalya do Nascimento Campos, falou que o socorro demorou a chegar.

“O atendimento do Samu e do Corpo de Bombeiros demorou muito. O pessoal não sabia o que tinha acontecido e não sabia passar para nós o que estava acontecendo. Os funcionários da Azul tentaram ajudar, separar quem estava mais machucado, mas até o momento ninguém ligou para passar nada para nós”, disse ela.

Jornalista e redator na Empresa O Pantanal OnLine, sob o número 0002048/MT

Qual é a sua Opinião?

Categorias