qua. jun 16th, 2021

Bomba! Prefeitura de Colniza já empenhou mais de R$ 2 milhões para empresa alvo do GAECO.

Publicamos este ano que a Prefeitura Municipal de Colniza tinha homologado uma licitação no mínimo suspeita com uma empresa de Sorriso. O processo licitatório nº 000006/21 da prefeitura municipal de Colniza(MT), chamou a atenção da nossa equipe, uma pelo valor e tipo de prestação de serviços, outra que a licitação foi aberta no dia 29 de janeiro de 2021 e homologada no mesmo dia.

O objetivo desta contratação é, CONTRATAÇÃO DE PESSOA JURÍDICA PARA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE MÃO DE OBRA DE APOIO ÀS ATIVIDADES OPERACIONAIS SUBSIDIÁRIAS, EM REGIME DE HORAS, EM ATENDIMENTO AS SECRETARIAS MUNICIPAIS DE COLNIZA- MT. VALOR: R$ 2.779.116,48

EMPENHO:

No portal transparência constatamos que a Prefeitura Municipal de Colniza já empenhou o valor de R$ 2.021.684,18

 

Vejam o contrato:

Vejam bem, a cidade de Sorriso (420 KM de Cuiabá) manteve negócios de terceirização de serviços públicos com a Coopervale na ordem de pelo menos R$ 35,6 milhões nos últimos quatro anos. A organização foi alvo da operação “Esforço Comum”, deflagrada pelo Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco), nesta quinta-feira (20).

FOLHAMAX realizou um levantamento em publicações do Tribunal de Contas do Estado (TCE/MT), órgão responsável por averiguar a eficiência e legalidade da aplicação dos recursos dos poderes públicos. Os negócios de maior valor verificados na prefeitura de Sorriso são um contrato (nº 075/2019), no valor de R$ 14,2 milhões, e um pregão presencial (de onde derivou o contrato nº 075/2019), e que prevê a prestação de serviços terceirizados no valor de R$ 15,3 milhões, ambos do ano de 2019.

Com exceção do acordo de prestação de serviços no valor de R$ 14,2 milhões, que possui um contrato, não está claro se a prefeitura chegou a fechar um outro contrato referente à terceirização de R$ 15,3 milhões tendo em vista que a licitação ocorreu na modalidade “pregão presencial” – que é demandado pelo Poder Público somente quando há a necessidade do trabalho ser realizado. Outro contrato da prefeitura de Sorriso com a Coopervale que merece destaque é o de nº 054/2017, no valor de R$ 4,7 milhões, que também versa sobre terceirização de serviços.

Segundo informações de publicações realizadas na Associação Mato-grossense dos Municípios (AMM), além de Sorriso, pelos menos outras 7 prefeitura de cidades do interior de Mato Grosso também mantiveram negócios com a Coopervale nos últimos cinco anos – Cáceres, Campo Novo do Parecis, Cláudia, Diamantino, Jauru, Santa Rita do Trivelato, e Terra Nova do Norte. Todos com cifras milionárias e também o Município de Colniza que firmou um contrato milionário com esta empresa na gestão do atual PREFEITO DE COLNIZA, SENHOR MILTON AMORIM.

ESFORÇO COMUM

O Gaeco deflagrou nesta quinta-feira a operação “Esforço Comum”, que apura supostas irregularidades em contratos da Coopervale – uma terceirizadora de serviços. Segundo informações preliminares, 36 mandados de busca e apreensão estão sendo realizados em Cuiabá, Rondonópolis, Santa Rita do Trivelato, Sorriso e Pedra Preta.

As diligências também foram realizadas em Japorã (MS) e Guaíra (PR), onde a Coopervale também atua. As investigações suspeitam de licitações direcionadas para beneficiar a Coopervale. Só na prefeitura de Rondonópolis, a organização já faturou R$ 67 milhões.

Jornalista e redator na Empresa O Pantanal OnLine, sob o número 0002048/MT

Qual é a sua Opinião?

Categorias