seg. maio 17th, 2021

“Educação de MT só volta em 2030” – Mesmo com vacinação, professores condicionam volta às aulas a imunização de alunos

Segundo Valdeir Pereira, grupo de alunos previsto no PNI também deve ser imunizado antes do retorno presencial

O presidente do Sindicato dos Trabalhadores do Ensino Público de Mato Grosso (Sintep-MT), Valdeir Pereira, afirmou que apesar do governo solicitar a vacinação dos profissionais da educação, a volta às aulas ainda não é segura no Estado. Segundo Valdeir, o retorno das aulas deve acontecer após a vacinação de todos alunos que estão incluídos no Plano Nacional de Imunização (PNI). 

Valdeir destaca que sem a vacinação de todo o grupo, ainda é será possível a disseminação da covid-19. Além disso é preciso monitorar a taxa de contaminação nos municípios para estimar um possível retorno das aulas. PUBLICIDADE

“Apesar das crianças creche e escola não estarem na imunização (PNI), são os pais quem levam, pais e avós, então precisa estar com o cuidado dobrado nos municípios, onde o risco de contaminação está alto. Será um risco muito grande e precisamos ter um cuidado redobrado para ter um retorno seguro”, afirma o professor. 

Thank you for watching

Apesar do governo estadual ter feito a solicitação da inclusão no grupo na vacinação, ainda não houve um retorno da comissão sobre o assunto. O presidente do sindicato aponta também uma preocupação com o número de doses destinadas para o grupo, que compõe cerca de 120 mil pessoas. 

O governo afirmou que 10% das doses que chegarem serão destinadas aos profissionais da educação. Valdeir pontua que, com essa porcentagem, seriam necessárias mais de 2 milhões de doses desembarcarem no Estado para imunizar completamente o grupo. 

Outro fator destacado pelo profissional é o aumento da contaminação de crianças após a nova variante da Covid-19 e que mesmo com o estudo indicando a baixa contaminação no ambiente escolar, ainda é preocupante retornar as aulas no Estado.  “Nós não temos ainda a segurança de dizer que se voltar para dentro das unidades escolares não serão contaminadas. É claro que a gente tem trabalhado  muito com algumas discussões internacionais que vem sendo feitas, que tem apontado que países que retornaram as aulas presenciais, há a presença de contaminação entre crianças. Agora como isso ainda não é uma regra geral, pois pouco países retornaram as aulas sem ter vacinado um número considerável de pessoas, então ainda não temos um estudo aprofundado sobre isso”.

No último boletim divulgado, Mato Grosso apresentou uma alta de 625 novos casos e 37 mortes em relação ao último levantamento. No total, são 353.443 casos e 9.500 mortes. Valdeir aponta que desse número cerca de 120 profissionais da educação pública perderam suas vidas em decorrência da covid-19.

Jornalista e redator na Empresa O Pantanal OnLine, sob o número 0002048/MT

Qual é a sua Opinião?

Categorias