ter. abr 20th, 2021

‘Kit Covid’: Reações adversas à cloroquina disparam 558% e Anvisa já registra nove mortes

Dados da agência reúnem notificações feitas por pacientes, empresas e profissionais de saúde de todo o país

As notificações por efeitos adversos decorrentes do uso de medicamentos do  “kit Covid” como cloroquina e hidroxicloroquina em 2020 dispararam na comparação com o ano anterior. Ao menos nove mortes foram notificadas, todas após março de 2020, depois do início da epidemia de Covid-19 no país. No caso da cloroquina, medicamento recomendado pelo presidente Jair Bolsonaro, o aumento nas notificações por efeitos adversos foi de 558%.

Os dados constam de um levantamento feito pelo GLOBO com base no Painel de Notificações de Farmacovigilância mantido pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). O aumento também foi registrado em relação a outros medicamentos do chamado “kit Covid”, composto por remédios sem eficácia comprovada contra a Covid-19. A comparação entre os dados de 2019 e 2020 mostra, também, uma mudança no ranking das substâncias mais notificadas. Em 2019, a cloroquina estava na sétima posição na lista dos medicamentos responsáveis por notificações de efeitos adversos. Em 2020, a cloroquina passou à primeira posição.

O presidente brasileiro Jair Bolsonaro, sem usar máscara de proteção, se aglomera para falar com apoiadores ao deixar o Palácio da Alvorada, em Brasília Foto: Evaristo Sá / AFP - 31/03/2021
O presidente brasileiro Jair Bolsonaro, sem usar máscara de proteção, se aglomera para falar com apoiadores ao deixar o Palácio da Alvorada, em Brasília Foto: Evaristo Sá / AFP – 31/03/2021
Bolsonaro defendeu o uso de cloroquina em lives Foto: Reprodução
Bolsonaro defendeu o uso de cloroquina em lives Foto: Reprodução
O então ministro-chefe da Casa Civil, Braga Netto, fala ao pé do ouvido de Bolsonaro, durante cerimônia em que o presidente sancionou leis que ampliam capacidade de aquisição de vacinas pelo governo federal. Apesar do uso de máscara, que se tornou cena incomum para o presidente, o distanciamento entre membros do governo não foi mantido Foto: Pablo Jacob / Agência O Globo - 10/03/2021
O então ministro-chefe da Casa Civil, Braga Netto, fala ao pé do ouvido de Bolsonaro, durante cerimônia em que o presidente sancionou leis que ampliam capacidade de aquisição de vacinas pelo governo federal. Apesar do uso de máscara, que se tornou cena incomum para o presidente, o distanciamento entre membros do governo não foi mantido Foto: Pablo Jacob / Agência O Globo – 10/03/2021
Jair Bolsonaro durante reunião na qual telefonou para o primeiro ministro de Israel, Benjamin Netanyahu: sem máscara ou distanciamento, em ambiente fechado Foto: Marcos Corrêa / Presidência da República - 12/02/2021
Jair Bolsonaro durante reunião na qual telefonou para o primeiro ministro de Israel, Benjamin Netanyahu: sem máscara ou distanciamento, em ambiente fechado Foto: Marcos Corrêa / Presidência da República – 12/02/2021
Com seu negacionismo, Bolsonaro transformou aparições públicas em cenas de campanha pré-pandemia, com abraços e beijos indiscriminados diante de aglomeração de apoiadores Foto: Alan Santos / PR - 30/12/2020
Com seu negacionismo, Bolsonaro transformou aparições públicas em cenas de campanha pré-pandemia, com abraços e beijos indiscriminados diante de aglomeração de apoiadores Foto: Alan Santos / PR – 30/12/2020
O presidente Jair Bolsonaro utilizou a máscara contra a Covid (obrigatória para as eleições) apenas ao votar na seção da Escola municipal da Vila Militar, em Deodoro, na Zona Oeste do Rio Foto: Reuters - 15/11/2020
O presidente Jair Bolsonaro utilizou a máscara contra a Covid (obrigatória para as eleições) apenas ao votar na seção da Escola municipal da Vila Militar, em Deodoro, na Zona Oeste do Rio Foto: Reuters – 15/11/2020
Jair Bolsonaro, na Solenidade do Dia da Pátria, no Palácio da Alvorada, cumprimentou apoiadores sem usar máscara Foto: Pablo Jacob / Agência O Globo - 07/09/2020
Jair Bolsonaro, na Solenidade do Dia da Pátria, no Palácio da Alvorada, cumprimentou apoiadores sem usar máscara Foto: Pablo Jacob / Agência O Globo – 07/09/2020
O presidente Bolsonaro posa ao lado do embaixador americano no Brasil, Todd Chapman, durante comemoração pelo Dia da Independência dos EUA, no sábado, 4 de julho, na casa do diplomata Foto: Nóbrega / PR - 04/07/2020
O presidente Bolsonaro posa ao lado do embaixador americano no Brasil, Todd Chapman, durante comemoração pelo Dia da Independência dos EUA, no sábado, 4 de julho, na casa do diplomata Foto: Nóbrega / PR – 04/07/2020
Bolsonaro durante manifestação a seu favor no Palácio da Alvorada, em Brasília Foto: Wagner Pires / Agência O Globo - 03/05/2020
Bolsonaro durante manifestação a seu favor no Palácio da Alvorada, em Brasília Foto: Wagner Pires / Agência O Globo – 03/05/2020
Na rampa do Palácio do Planalto, o presidente Jair Bolsonaro, acompanhado da filha Laura, acena para manifestantes que participam de manifestação antidemocrática em Brasília, emmaio. O presidente chegou a abraçar uma criança na rampa. Ele não se aproximou mais dos apoiadores por conta de duas grades de segurança que foram instaladas Foto: Jorge William / Agência O Globo - 03/05/2020
Na rampa do Palácio do Planalto, o presidente Jair Bolsonaro, acompanhado da filha Laura, acena para manifestantes que participam de manifestação antidemocrática em Brasília, emmaio. O presidente chegou a abraçar uma criança na rampa. Ele não se aproximou mais dos apoiadores por conta de duas grades de segurança que foram instaladas Foto: Jorge William / Agência O Globo – 03/05/2020
Na rampa do Palácio do Planalto, o presidente Jair Bolsonaro, acompanhado da filha Laura, acena para manifestantes que participam de manifestação antidemocrática em Brasília, emmaio. O presidente chegou a abraçar uma criança na rampa. Ele não se aproximou mais dos apoiadores por conta de duas grades de segurança que foram instaladas Foto: EVARISTO SA / AFP - 03/05/2020
Na rampa do Palácio do Planalto, o presidente Jair Bolsonaro, acompanhado da filha Laura, acena para manifestantes que participam de manifestação antidemocrática em Brasília, emmaio. O presidente chegou a abraçar uma criança na rampa. Ele não se aproximou mais dos apoiadores por conta de duas grades de segurança que foram instaladas Foto: EVARISTO SA / AFP – 03/05/2020
Bolsonaro cumprimenta com abraço o presidente do STF, Dias Toffoli, durante a posse de André Mendonça como ministro da Justiça Foto: Pablo Jacob / Agência O Globo - 29/04/2020
Bolsonaro cumprimenta com abraço o presidente do STF, Dias Toffoli, durante a posse de André Mendonça como ministro da Justiça Foto: Pablo Jacob / Agência O Globo – 29/04/2020
De máscara, a primeira-dama, Michele Bolsonaro, ao lado do presidente durante a solenidade de posse do novo ministro da Justiça Foto: Pablo Jacob / Agência O Globo - 29/04/2020
De máscara, a primeira-dama, Michele Bolsonaro, ao lado do presidente durante a solenidade de posse do novo ministro da Justiça Foto: Pablo Jacob / Agência O Globo – 29/04/2020
Em cerimônia da posse de Teich, convidados ignoram máscaras, se abraçam e ficam próximos uns dos outros Foto: Jorge William / Agência O Globo - 17/04/2020
Em cerimônia da posse de Teich, convidados ignoram máscaras, se abraçam e ficam próximos uns dos outros Foto: Jorge William / Agência O Globo – 17/04/2020
Presidente Jair Bolsonaro sai do Palácio da Alvorada, visita o Hospital HFA, depois vai em uma farmácia Rosário, e em um edifício, no Sudoeste, em Brasília. Esta não foi a primeira vez que Bolsonaro causou aglomerações nas ruas padarias. Em uma visita à uma padaria ele não só se aglomerou com apoiadores como consumiu alimentos dentro do estabelecimento, o que não é mais permitido Foto: Jorge William / Agência O Globo - 14/04/2020
Presidente Jair Bolsonaro sai do Palácio da Alvorada, visita o Hospital HFA, depois vai em uma farmácia Rosário, e em um edifício, no Sudoeste, em Brasília. Esta não foi a primeira vez que Bolsonaro causou aglomerações nas ruas padarias. Em uma visita à uma padaria ele não só se aglomerou com apoiadores como consumiu alimentos dentro do estabelecimento, o que não é mais permitido Foto: Jorge William / Agência O Globo – 14/04/2020
O presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, se reúne com apoiadores ao deixar o Palácio da Alvorada, em meio ao surto de Covid-19 Foto: Ueslei Marcelino / Reuters - 02/04/2020
O presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, se reúne com apoiadores ao deixar o Palácio da Alvorada, em meio ao surto de Covid-19 Foto: Ueslei Marcelino / Reuters – 02/04/2020
Presidente Jair Bolsonaro cumprimenta seus apoiadores durante manifestação em Brasília. Ele deveria estar em isolamento social por ter tido contato com pelo menos 10 membros de sua equipe Foto: SERGIO LIMA / AFP - 15/03/2020
Presidente Jair Bolsonaro cumprimenta seus apoiadores durante manifestação em Brasília. Ele deveria estar em isolamento social por ter tido contato com pelo menos 10 membros de sua equipe Foto: SERGIO LIMA / AFP – 15/03/2020
Presidente Jair Bolsonaro cumprimenta seus apoiadores durante manifestação em Brasília. Ele deveria estar em isolamento social por ter tido contato com pelo menos 10 membros de sua equipe. Compartilhar equipamentos, como celulares, também vai de encontro às recomendações por propiciar a contaminação Foto: SERGIO LIMA / AFP - 15/03/2020
Presidente Jair Bolsonaro cumprimenta seus apoiadores durante manifestação em Brasília. Ele deveria estar em isolamento social por ter tido contato com pelo menos 10 membros de sua equipe. Compartilhar equipamentos, como celulares, também vai de encontro às recomendações por propiciar a contaminação Foto: SERGIO LIMA / AFP – 15/03/2020

O painel da Anvisa reproduz as notificações recebidas de todo o Brasil sobre efeitos adversos relativos ao uso de algum tipo de medicamento. Ele faz parte do VigiMed, um sistema informatizado de notificações implantado em dezembro de 2018 pela agência. Um efeito adverso é uma reação inesperada do paciente após receber uma medicação específica. Essas notificações podem ser feitas tanto por empresas, profissionais e serviço de saúde como pelos próprios pacientes. De acordo com a Anvisa, as notificações representam “suspeitas” e nem todas são investigadas. Ainda de acordo com a agência, apesar de as notificações estarem associadas a um determinado medicamento, os efeitos adversos registrados podem ter relação com outras substâncias.

A plataforma mostra que houve um aumento geral no número de notificações de efeitos adversos entre 2019 e 2020. No período, a quantidade de notificações referentes a todos os medicamentos saiu de 8.587 em 2019 para 19.592 no ano seguinte, um crescimento de 128%. Apesar do crescimento dos dados gerais, o aumento relacionado a medicamentos como cloroquina e azitromicina é superior à média.

O chamado “kit Covid” é um grupo de medicamentos fornecidos pelo governo federal a estados e municípios no qual estão remédios sem eficácia contra a Covid-19. O levantamento do GLOBO considerou os seguintes remédios: cloroquina, hidroxicloroquina e sulfato de hidroxicloroquina, azitromicina e ivermectina.

De acordo com o painel, as notificações por efeitos adversos associados ao uso da cloroquina saíram de 139 em 2019 para 916 em 2020, uma variação de 558%. Segundo os dados, efeitos adversos relacionados ao uso da cloroquina levaram à notificação de uma morte. A cloroquina vem sendo defendida pelo presidente Bolsonaro no tratamento da Covid-19 apesar de estudos científicos comprovarem que ela não tem eficácia contra a doença. Em maio do ano passado, o Ministério da Saúde publicou uma orientação para uso de cloroquina, hidroxicloroquina e outros medicamentos desde os sintomas iniciais da Covid-19. A diretriz foi amplamente criticada por especialistas da área.

Do total de eventos adversos notificados, 96% se concentram no Amazonas, um dos estados que mais sofreram com a pandemia. Entre os principais efeitos adversos notificados estão: distúrbios dos sistemas nervoso, gastrointestinal, psiquiátrico e cardíaco. Em março O GLOBO mostrou que equipes do Ministério da Saúde fizeram um tour por 13 unidades básicas de saúde de Manaus, em meio ao colapso do sistema amazonense, pregando o “tratamento precoce”. O caso levou à abertura de um inquérito pelo Ministério Público Federal.

Outros medicamentos que tiveram crescimento no número de notificações de efeitos adversos foram a hidroxicloroquina e o sulfato de hidroxicloroquina. De acordo com o painel, em 2019, nenhuma notificação havia sido registrada sobre o uso desses remédios. Em 2020, no entanto, foram registradas 168 notificações. Segundo o painel, foram registradas oito mortes como resultado do uso do medicamento. Entre os principais efeitos notificados estão: taquicardia, náuseas, vômito e tontura. O estado que mais concentrou as notificações foi São Paulo, com 44% do total.

A azitromicina, que também faz parte do kit, também registrou aumento no número de efeitos adversos notificados. Em 2019 foram 25. Em 2020, o número saltou para 82, uma variação de 228%.

Negacionistas gaúchos protestam, na capital Porto Alegre, com discurso na contramão da ciência, que tem como o distanciamento social a medida mais eficiente para evitar a disseminação do coronavírus Foto: DIEGO VARA / REUTERS
Negacionistas gaúchos protestam, na capital Porto Alegre, com discurso na contramão da ciência, que tem como o distanciamento social a medida mais eficiente para evitar a disseminação do coronavírus Foto: DIEGO VARA / REUTERS
Parentes e amigos carregam o caixão durante o enterro de Paulo Carletti, 76, falecido por coronavírus, no cemitério de Belém Novo, em Porto Alegre, Rio Grande do Sul Foto: Diego Vara / Reuters - 05/03/2021
Parentes e amigos carregam o caixão durante o enterro de Paulo Carletti, 76, falecido por coronavírus, no cemitério de Belém Novo, em Porto Alegre, Rio Grande do Sul Foto: Diego Vara / Reuters – 05/03/2021
Aglomeração em bloco improvisado na Avenida Mem de Sá, na Lapa. Na cidade do Rio, o carnaval não teve programação, mas cariocas e visitantes espalharam folia clandestina pela cidade Foto: Alexandre Cassiano / Agência O Globo - 14/02/2021
Aglomeração em bloco improvisado na Avenida Mem de Sá, na Lapa. Na cidade do Rio, o carnaval não teve programação, mas cariocas e visitantes espalharam folia clandestina pela cidade Foto: Alexandre Cassiano / Agência O Globo – 14/02/2021
Parentes de Tereza Santos que morreu de COVID-19 reagem durante seu sepultamento no cemitério Vila Formosa, em São Paulo Foto: Carla Carniel / Reuters
Parentes de Tereza Santos que morreu de COVID-19 reagem durante seu sepultamento no cemitério Vila Formosa, em São Paulo Foto: Carla Carniel / Reuters
Quando o poder público nega a ciência ao povo. Dezenas de passageiros caminham após desembarcar do trem na estação da Luz, no centro de São Paulo. Nas grandes metrópoles brasileiras, enquanto se discursa sobre distanciamento social, cenas de aglomeração no transporte são comuns Foto: Miguel Schincariol / AFP - 05/03/2021
Quando o poder público nega a ciência ao povo. Dezenas de passageiros caminham após desembarcar do trem na estação da Luz, no centro de São Paulo. Nas grandes metrópoles brasileiras, enquanto se discursa sobre distanciamento social, cenas de aglomeração no transporte são comuns Foto: Miguel Schincariol / AFP – 05/03/2021
Vista aérea do cemitério do Parque Tarumã em meio à crise do coronavírus, em Manaus, Amazonas Foto: Bruno Kelly / Reuters - 25/02/2021
Vista aérea do cemitério do Parque Tarumã em meio à crise do coronavírus, em Manaus, Amazonas Foto: Bruno Kelly / Reuters – 25/02/2021
O grito do subúrbio. Mulher é imprensada contra porta de ônibus do BRT no Mato Alto, Campo Grande, Zona Oeste do Rio Foto: Brenno Carvalho / Agência O Globo
O grito do subúrbio. Mulher é imprensada contra porta de ônibus do BRT no Mato Alto, Campo Grande, Zona Oeste do Rio Foto: Brenno Carvalho / Agência O Globo
Parentes de Luiz Alves, 63, vítima da COVID-19, reúnem-se ao redor do caixão no cemitério de Inhaúma, no Rio de Janeiro Foto: Pilar Olivares / Reuters - 10/03/2021
Parentes de Luiz Alves, 63, vítima da COVID-19, reúnem-se ao redor do caixão no cemitério de Inhaúma, no Rio de Janeiro Foto: Pilar Olivares / Reuters – 10/03/2021
Depois das aglomerações de fim de ano, o carnaval. Agente da Secretaria de Ordem Pública segura pandeiro apreendido de bloco improvisado na Avenida Mem de Sá, na Lapa Foto: Alexandre Cassiano / Agência O Globo - 14/02/2021
Depois das aglomerações de fim de ano, o carnaval. Agente da Secretaria de Ordem Pública segura pandeiro apreendido de bloco improvisado na Avenida Mem de Sá, na Lapa Foto: Alexandre Cassiano / Agência O Globo – 14/02/2021
Sem necessidade de apresentar comprovante de residência, o primeiro dia de vacinação em Duque de Caxias foi marcado por aglomeração, tumulto e frustração Foto: Fabiano Rocha / Agência O Globo - 05/03/2021
Sem necessidade de apresentar comprovante de residência, o primeiro dia de vacinação em Duque de Caxias foi marcado por aglomeração, tumulto e frustração Foto: Fabiano Rocha / Agência O Globo – 05/03/2021
Pacientes com Covid-19 são transferidos do Hospital Regional da Asa Norte (HRAN), que é referencia no tratamento da doença, em Brasília. Aumento nos casos de Covid-19 causa forte impacto na rede de hospitais no Distrito Federal, que enfrenta lockdown para tentar conter a disseminação do vírus que já matou quase 270 mil brasileiros Foto: Pablo Jacob / Agência O Globo - 10/03/2021
Pacientes com Covid-19 são transferidos do Hospital Regional da Asa Norte (HRAN), que é referencia no tratamento da doença, em Brasília. Aumento nos casos de Covid-19 causa forte impacto na rede de hospitais no Distrito Federal, que enfrenta lockdown para tentar conter a disseminação do vírus que já matou quase 270 mil brasileiros Foto: Pablo Jacob / Agência O Globo – 10/03/2021
Criança usando máscara abraça adulto que veste camisa de protesto contra o lockdown em Brasília, apesar dos números da pandemia Foto: UESLEI MARCELINO / REUTERS - 28/02/2021
Criança usando máscara abraça adulto que veste camisa de protesto contra o lockdown em Brasília, apesar dos números da pandemia Foto: UESLEI MARCELINO / REUTERS – 28/02/2021

Outro integrante do “kit Covid” que teve aumento no número de notificações é a ivermectina. Nesta quarta-feira, a Organização Nacional da Saúde (OMS) recomendou que o remédio não seja usado no tratamento da Covid-19. Segundo o painel da Anvisa, em 2019, não houve nenhuma notificação relacionada ao medicamento. Em 2020, foram 11. Recentemente, médicos alertaram que pelo menos quatro pacientes que fizeram uso indiscriminado de ivermectina foram encaminhados à fila do transplante de fígado.

— O único produto autorizado na Anvisa para o tratamento da doença Covid-19 é o Remdesivir, que pode ser administrado no ambiente intra-hospitar. E importante frisar que nenhum medicamento é isento de riscos. E esses riscos podem ser agravados pelo uso indiscriminado e sem orientação profissional. Isso vale para todos os medicamentos —  afirmou a gerente-geral de Monitoramento de Produtos Sujeitos à Vigilância Sanitária da Anvisa, Suzie Gomes. — A avaliação dos possíveis  eventos adversos é uma rotina da área de farmacovigilância e compõe uma etapa importante da avaliação de segurança, mas não é a única.

O GLOBO questionou o Ministério da Saúde se a pasta pretende rever a orientação editada em maio sobre o uso de medicamentos contra a Covid-19, mas a pasta não respondeu. O ministério afirmou que está atento e “acompanhando todas as atualizações e publicações referentes ao tratamento da Covid-19 pelo mundo”.

Segundo a pasta, está prevista a criação de um conselho consultivo com representantes “da academia e associações ligadas à classe médica” para auxiliar o governo no combate à pandemia. “Reforçamos que a orientação e recomendação do Ministério da Saúde é que, aos primeiros sinais da Covid-19, os pacientes procurem uma Unidade Básica da Saúde (posto médico) para atendimento médico. A medida é fundamental para evitar casos graves da doença. Por fim, reforçamos a necessidade do uso de máscaras e a higienização frequente das mãos”, disse o órgão.

Jornalista e redator na Empresa O Pantanal OnLine, sob o número 0002048/MT

Qual é a sua Opinião?

Categorias