qua. jun 16th, 2021

Aulas na rede estadual de ensino começam dia 8 de forma não presencial; Rede Municipal de Colniza ainda não decidiu nada.

Governo levou em consideração casos de Covid-19 no Estado e a avaliação dos pais e profissionais da Educação

As aulas da rede estadual de ensino irão começar no próximo dia 8 de fevereiro, de forma não presencial (on line ou por meio de apostilas). A decisão foi tomada pelo Governo de Mato Grosso e levou em consideração o aumento no número de casos de Covid-19 no Estado e a crescente demanda por leitos de UTI.

O Estado também avaliou a opinião de pais de alunos e dos profissionais da Educação.

“A decisão foi tomada para preservar a saúde dos profissionais da Educação e as famílias dos alunos, em decorrência do aumento no número de casos da doença no Estado e a ocupação dos leitos de UTI”, destacou o governador Mauro Mendes. 

Outra decisão do governo será avaliar toda segunda-feira a curva epidemiológica da doença. Ou seja, verificar se os casos estão aumentando ou diminuindo, para decidir se as aulas serão mantidas de forma não presencial ou irão para a modalidade híbrida (em que intercala alunos estudando de forma presencial e a outra parte de forma não presencial).

Um boletim epidemiológico será emitido toda segunda-feira, após o retorno das aulas, para informar a comunidade se haverá ou não alteração na modalidade de ensino.

O Estado conta com mais de 700 escolas estaduais, com 380 mil alunos e 40 mil profissionais da Educação. De acordo com o secretário de Estado de Educação, Alan Porto, “a infraestrutura escolar está preparada para atender os alunos e profissionais tanto no ensino não presencial como no híbrido”.

Colniza:

Em uma enquete realizada pelo site Pantanal OnLine os participantes decidiram pelo retorno das aulas presenciais:

Decreto Municipal contraditório:

Alegando apenas casos leves, e apenas 09 óbitos, o comitê decidiu a abertura de tudo e o funcionamento de eventos, cultos religiosos, festas, entrada e saída da cidade sem barreiras sanitárias e sem fiscalização.

Isso fez com que o site questionasse a decisão de não ter aulas presenciais, pois, caso não tenha, o decreto terá mesmo peso e medidas diferentes e com isso, irão decretar que apenas a educação seria responsável pela disseminação da Covid-19.

Promotoria:

Em contato com a Promotoria de Justiça da Comarca de Colniza, perguntamos a respeito do posicionamento da mesma a respeito do decreto liberar tudo e caso, a educação não volte as aulas presenciais, o que irão fazer a respeito do “libera geral”.

A resposta que tivemos é que a promotoria fará uma reunião com secretários e com um representante do Sintep.

Site:

Não estamos aqui querendo o retorno das aulas presenciais a qualquer custo, e sim, questionamos o decreto que é contraditório, pois caso não tenha aqui em Colniza aulas presenciais na rede municipal de ensino, por que pode tudo? – É isso que queremos saber, afinal todo e qualquer tipo de aglomeração seria arriscado concordam?

Jornalista e redator na Empresa O Pantanal OnLine, sob o número 0002048/MT

Qual é a sua Opinião?

Categorias