Justiça afasta tabeliães em Aripuanã MT que seriam ligados ao crime organizado

Tabeliães sofreram um processo administrativo disciplinar e perderam a serventia do cartório de Aripuanã

O juiz Fabio Petengill, da Vara Única de Aripuanã (1.203 KM de Cuiabá), decretou a perda da serventia dos tabeliães D.P. e N.O.B., respectivamente, titular e tabeliã-substituta do cartório do 2º Ofício do município do extremo noroeste de Mato Grosso.

De acordo com informações, pesam contra eles “acusações graves, inclusive de elo com organização criminosa”.

Entre as acusações contra os tabeliães, o juiz Fabio Petengill elencou outras irregularidades cometidas pelos tabeliães. Entre elas, está o “reconhecimento de firmas de pessoas inexistentes, emissão de escritura pública de compra e venda sem a presença dos negociantes com aparente criação de pessoa ‘inexistente’, validação de atos de procurador que já haviam sido revogados há mais de 10 anos”, além de outras fraudes.

Um dos bens que foram alvo das supostas irregularidades seria a fazenda Paiolândia, em Rosário Oeste (103 KM de Cuiabá), que pertence à empresa Rondon Empreendimentos Imobiliários. Escrituras falsas teriam sido utilizadas para “roubar” a propriedade.

Jornalista e redator na Empresa O Pantanal OnLine, sob o número 0002048/MT

Qual é a sua Opinião?

Categorias