qui. jun 4th, 2020

Colniza(MT): Medo, silêncio e terror! Sem Delegado, sem Juiz e Jornalista ameaçado; Aonde está o governador de MT???

Promotor só anda escoltado 24 horas pela PM, corrupção, mortes sem solução, descaso, estradas intrafegáveis e um Jornalista praticamente sendo expulso da cidade.

Em primeiro lugar, quero mostrar que o Município de Colniza tem sua população estimada em 37 280 habitantes. Colniza foi elevada à categoria de cidade em 1998, com a criação do município. Sua área territorial foi integralmente desmembrada do município de Aripuanã, até então um dos maiores municípios do Centro-Oeste em área territorial.

No ano de 2004, o município registrou 165,3 mortes por grupo de 100 mil habitantes, o que a colocou como a cidade mais violenta do país.

Colniza faz limites com os Estados de Rondônia e Amazonas.

Atualmente a situação é crítica e muito mais perigosa

Eu Jornalista Renato Pantanal sou o único que ainda tenho coragem de falar a verdade da real situação da cidade, ou seja, em 2014 o Casal de Ativista(Josias e Ireni) foi executado a sangue frio por defender os direitos dos Sem terras no Projeto Filinto Müller no Distrito de Guariba, crime que até hoje ninguém foi preso ou sequer denunciado e eu Jornalista Renato Pantanal por ter acompanhado o caso fui ameaçado.

Ele teria denunciado alguns políticos da região, por extração de madeiras ilegais. Também denunciou a Polícia Militar por irregularidades e também e órgãos por emissões irregulares de títulos definitivos das terras na região.

Por várias vezes, na reunião, Josias afirmou a existência de ‘pistoleiros’ na região e que nunca foram tomadas providências. “Estamos morrendo, somos ameaçados, o Governo de Mato Grosso é conivente, a PM de Guariba protege eles, o Governo Federal é omisso, será que eu vou ter que ser assassinado para que vocês acreditem e tomem providências”, disse Josias no dia 5 de Agosto de 2014.

A partir desse duplo homicídio, achávamos que o Governo Federal e Estadual iriam tomar providências, mas não fizeram nada e em 2017 foi a vez do Prefeito Vando e do ex-vereador Elpidio morrerem, Vando foi perseguido por 12 km e fuzilado ao chegar no centro da Cidade, já o ex-vereador elpidio morreu dentro de casa.

Vando foi fuzilado no centro da cidade.

Elpidio foi executado dentro de casa

Para o Vando o consolo é que houve justiça, todos envolvidos estão presos e aguardando julgamento. Já para o ex-vereador Elpídio dificilmente irá ter justiça, pois ninguém foi preso ou sequer denunciado pela morte dele.

Mortes pelo direito a um pedaço de terra:

Essa situação é mais delicada, pois após a morte do Casal teve a bárbara chacina das 09 pessoas em Taquaruçu do Norte, outro crime impuni na cidade, e que chocou o mundo inteiro em 2017 também.

Várias covas abertas após a chacina de Taquaruçu do Norte

Tiroteio e morte na fazenda Magali(Fazenda Baurú), de propriedade do Ex-Deputado José Geraldo Riva, foi outra tragédia anunciada, e o governo de estado mais uma vez pagou para ver e um jovem morreu vítima do descaso.

Hospital ficou lotado no dia do tiroteio em janeiro de 2019

Caso Caio:

Esse o caso mais cruel e covarde da história da cidade, pois o jovem que tinha 16 anos de idade, menino religioso e trabalhador foi queimado vivo dentro de casa.

O crime completou um ano e ninguém foi preso.

Caso Késia:

Em 2018 essa menina que tinha apenas 14 anos, após ficar desaparecida por 11 dias, seu corpo foi localizado enterrado no lixão da cidade, um crime ainda rodeado de mistérios:

Janeiro de 2020:

O janeiro Sangrento de um ano político e perigoso, a chacina aconteceu em Colniza logo no 3º dia do ano vitimando 04 pessoas, e a cidade está em pânico.

04 foram executados no mesmo dia.

Já aconteceu vários crimes nos distritos de Guariba e Três Fronteiras, mas a maioria deles ficam escondidos ou sequer são registrados, principalmente os que acontecem no Três Fronteiras.

O Três Fronteiras sequer tem policiamento, o verdadeiro território sem lei.

Ameaças ao Jornalista:

Eu Renato Pantanal a 10 anos estou vivo por milagres, pois a cada matéria publicada as ameaças em redes sociais são descaradas, feitas por um pequeno grupo de pessoas que desejam continuar em uma cidade sem leis, sem justiça, pois ganham com a tragédia, com a falta de policiamento, com a falta de fiscalização e um jornalista que dedica seu tempo sua vida para tornar um cidade melhor e mais justa para todos sofre ameaças 24 horas.

Chegam a tentar colocar os moradores contra a minha pessoa e a minha família com a mentirosa frase de que eu não gosto da cidade e falo mal dela, claro que não é verdade, querem a impunidade e com isso manter uma cidade amedrontada nas mãos de “meia dúzia”.

Insegurança e descaso dos Governos federal e estadual:

A insegurança é notória a cidade tem um Promotor de Justiça que não esconde o medo, pois, ele vive escoltado 24 horas pela Policia Militar, quando mesmo quer fazer caminhada no Mini Estádio, no centro, ele é escoltado muitas vezes por duas viaturas da Polícia Militar.

A cidade não tem Juiz de Direito, Não tem Delegado, a Policia Civil, DE ACORDO com nossas informações só tem 02 investigadores o efetivo da PM é reduzido e insuficiente para o tamanho da cidade,e pela quantidade de crimes que acontece todos os dias.

Não tem defensores públicos e com isso a criminalidade tomou conta de tudo, pois o estado covardemente fechou os olhos para tudo que acontece aqui.

Corrupção:

Desde 2016 a cidade tem um Prefeito por ano, pois quando não matam, o Prefeito é afastado por suspeita de Corrupção, como foi o caso do Prefeito Celso leite, afastado pela Justiça a pedido do Ministério Público, e até hoje nunca um político foi preso por desvios de dinheiro dos cofres público, um verdadeiro paraíso de corruptos.

Lembrando que a cidade paga o preço alto por ter 02 vereadores afastados pela Justiça que continuam há 02 anos recebendo e sem trabalhar.

Ano Político:

A avareza aos cofres públicos não diminuiu nem com a morte do Prefeito Vando, pois vários nomes já foram lançados a prefeito e esse ano a morte está rodeando a eleição e se o Estado cruzar os braços teremos o ano mais sangrento da história de Colniza.

Então faço a mesma pergunta que o ativista Josias fez antes de MORRER “Será que eu Jornalista Renato Pantanal terei que morrer para o governador, Deputados, Presidente da Republica acordarem e tomarem providências?”

Amo minha cidade e o motivo e a prova está aqui, eu mais uma vez arriscando minha vida em nome da paz e da justiça.

Precisamos de medidas urgente governador Mauro Mendes antes que o Jornalista seja morto ou expulso da cidade, pois estou aqui governador “gritando para todo mundo ouvir”.

Jornalista e redator na Empresa O Pantanal OnLine, sob o número 0002048/MT

Qual é a sua Opinião?