seg. dez 16th, 2019

Caiu no Enem: 1º dia teve Madonna, Hannah Arendt, Cazuza, Hilda Hilst, bullying, refugiados e Estatuto do Idoso

Provas de linguagens e ciências humanas tiveram diversas questões sobre direitos humanos.

O primeiro dia do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2019 apresentou questões que abordavam temas ligados aos direitos das mulheres e minorias, além de questões raciais como refugiados e escravidão. Itens que tratavam de discursos de ódio também apareceram nas provas de linguagens e ciências humanas.

Na redação, a prova contou com quatro textos motivadores, incluindo um gráfico intitulado “Da telona para as telinhas”, mostrando dados sobre a população que assistem a filmes pela televisão e no cinema.

Outro texto, retirado do site oficial da Ancine, a agência do governo brasileiro para o audiovisual, fala sobre como o Brasil é apenas o 60º país na relação de habitantes por sala de cinema, com pouco mais de 2 mil salas, uma queda em relação à década de 1970.

Trecho de texto retirado do site da Ancine que caiu na redação do Enem 2019 fala sobre a queda no número de salas de cinema no Brasil — Foto: Reprodução/Ancine

Trecho de texto retirado do site da Ancine que caiu na redação do Enem 2019 fala sobre a queda no número de salas de cinema no Brasil — Foto: Reprodução/Ancine

Veja uma lista de temas que apareceram nas provas de linguagens e ciências humanas:

  • música “In this life”, da cantora americana Madonna
  • canção “O blues da piedade”, de Cazuza e Frejat
  • o físico e astrônomo brasileiro Marcelo Gleiser
  • Trecho do livro “1822”, de Laurentino Gomes, sobre Maria Quitéria, heroína da Guerra da Independência
  • poema “Lua enlutada”, da escritora brasileira Hilda Hilst
  • bullying
  • anorexia
  • liberdade de expressão e discursos de ódio nas redes sociais
  • refugiados
  • direitos do idoso
  • exposição de crianças na internet pelos pais, desde a gravidez
  • relação entre agrotóxicos e a morte de abelhas, e como a produção agrícola pode crescer de forma mais sustentável

Bullying e anorexia

Uma das questões trazia um anúncio de um site português que tratava de bullying e anorexia, e o estudante tinha que saber fazer a análise do discurso.

Perigo dos agrotóxicos para as abelhas

Uma questão de geografia citou uma notícia publicada em 2014 no site do Ministério do Meio Ambiente sobre a ligação entre o uso de agrotóxicos e a morte de abelhas em São Paulo e Minas Gerais, e pediu detalhes sobre como é possível promover uma produção agrícola mais sustentável.

Questão de geografia do Enem 2019 citou uma investigação do Ibama sobre o extermínio das abelhas por causa do uso de agrotóxicos — Foto: Reprodução/Ministério do Meio Ambiente

Questão de geografia do Enem 2019 citou uma investigação do Ibama sobre o extermínio das abelhas por causa do uso de agrotóxicos — Foto: Reprodução/Ministério do Meio Ambiente

Refugiados

Outra abordava os refugiados. A questão trazia um anúncio da Acnur, a agência da ONU para refugiados, que mostrava uma imagem com sapatos e a questão perguntava o que esses sapatos simbolizavam. O estudante tinha que interpretar a questão e falar sobre a empatia e o colocar-se no lado do refugiado.

Hannah Arendt e o totalitarismo

‘Veterana’ no Enem, a filósofa alemã Hannah Arendt voltou a aparecer na prova. Uma questão citou sua obra “Origens do totalitarismo” para falar sobre como o totalitarismo aprisiona a população a ponto de elas acharem normal o extermínio de pessoas.

Trecho da obra 'Origens do totalitarismo', da pensadora alemã Hannah Arendt, apareceu em questão sobre o discurso de ódio nas redes sociais — Foto: Reprodução/Cia das Letras

Trecho da obra ‘Origens do totalitarismo’, da pensadora alemã Hannah Arendt, apareceu em questão sobre o discurso de ódio nas redes sociais — Foto: Reprodução/Cia das Letras

Estatuto dos Idosos

Já o Estatuto do Idoso apareceu em uma questão que falava sobre a condição de vida dos mais velhos. A questão trazia dois textos, um do jornal Folha de Londrina e outro do site do governo Brasil.gov.br. O estudante precisava relacionar o que eles tinham em comum.

‘Blues da Piedade’, Cazuza e Frejat

A letra da música “Blues da Piedade”, de Cazuza Frejat, foi um dos temas da prova do Enem 2019.

O primeiro verso da canção é: “Agora eu vou cantar pros miseráveis / Que vagam pelo mundo derrotados / Pra essas sementes mal plantadas / Que já nascem com cara de abortadas / Pras pessoas de alma bem pequena / Remoendo pequenos problemas / Querendo sempre aquilo que não têm.”

A pergunta era para o estudante analisar a letra e interpretar o que ela queria transmitir.

O estudante tinha que interpretar a letra e dizer qual o objetivo da mensagem e o que ela queria transmitir.

Cazuza — Foto: Reprodução GloboNews

Cazuza — Foto: Reprodução GloboNews

Marcelo Gleiser no Supertrunfo

O físico e astrônomo carioca Marcelo Gleiser caiu em uma das questões do Enem. Ele foi anunciado em março deste ano como o grande vencedor do Prêmio Templeton 2019, considerado o Oscar da espiritualidade.

A questão do Enem trazia uma carta do jogo “Supertrunfo” com a imagem do astrônomo e características da vida dele. A questão perguntava como a imagem subverte o gênero textual e de que maneira ela fazia isso.

Enem 2019 incluiu cartela feita pelo 'Super Trunfo Tecmundo' com o físico brasileiro Marcelo Gleiser em uma questão de gêneros textuais — Foto: Reprodução/TecMundo

Enem 2019 incluiu cartela feita pelo ‘Super Trunfo Tecmundo’ com o físico brasileiro Marcelo Gleiser em uma questão de gêneros textuais — Foto: Reprodução/TecMundo

Picasso

Uma obra do Picasso foi tema de uma das questões do Enem: a obra “Cabeça de Touro”. A obra de 1942 é composta por um celim e um guidão de bicicleta em bronze. A questão pedia para interpretar a obra e ver como objetos abstratos transmitiam a imagem que o artista queria.

A obra Bull's Head ('Cabela de Touro'), de Picasso, de 1942 — Foto: Divulgação/Museu do Picasso

A obra Bull’s Head (‘Cabela de Touro’), de Picasso, de 1942 — Foto: Divulgação/Museu do Picasso

Jornalista e redator na Empresa O Pantanal OnLine, sob o número 0002048/MT, em 21/08/2014, conforme processo nº 46210.001548/2014-14

Qual é a sua Opinião?