seg. dez 9th, 2019

Urgente: Queimadas e poeira deixam situação do ar crítica em Colniza(MT).

Ruas sem pavimentação, queimadas urbanas e rurais deixam o ar irrespirável em Colniza

O município de Colniza, localizado a aproximadamente 1065 KM da capital Cuiabá, é um dos municípios da região noroeste do estado de Mato Grosso que mais sofre nesta época, pois é um período de estiagem(Seca) e as queimadas aliadas a grande quantidade de poeira oriundas da falta de pavimentação asfáltica deixam a situação do ar crítica em Colniza.

O estado de Mato Grosso está enfrentando a pior temporada de queimadas dos últimos sete anos e falta dinheiro para combater os incêndios.

O paredão vermelho de fogo e fumaça toma conta do campo e, em poucos minutos, destrói tudo que vê pela frente. De janeiro até agora, o estado registrou mais de 13 mil focos de calor, que podem ser indícios de queimadas.

A situação em Mato Grosso é de alerta ambiental. Várias regiões do estado registraram, 38 graus. O clima quente e seco não tem data para ir embora. Esse cenário favorece o aumento de queimadas.

Em Colniza, foram detectados 1.049 focos desde o início do período proibitivo (15 de julho a 15 de setembro). O município detêm 81% de área coberta por floresta e guarda os remanescentes da Amazônia mato-grossense, tal como o segundo colocado em focos de calor, Aripuanã, que tem 81,5% de área florestada.

As queimadas ocorrem principalmente nas propriedades particulares. Desde janeiro, 60% dos focos de calor foram em áreas privadas registradas no Cadastro Ambiental Rural, 16% em Terras Indígenas e 1% em Unidades de Conservação.

Parte do combate às queimadas no Brasil é financiada pelo Fundo Amazônia —que visa a preservação da floresta—, iniciativa financiada por Noruega e Alemanha. Na última quinta (15), a Noruega informou que irá bloquear os recursos enviados ao fundo. O governo Bolsonaro extinguiu os conselhos que orientam o fundo, o que levou à ação da Noruega. 

No último dia 10, a Alemanha também afirmou que suspenderá R$ 150 milhões que seriam destinados à preservação da Amazônia. Até 2016, o fundo apoiou o combate às queimadas em Mato Grosso com recursos de R$ 12,6 milhões. Foram adquiridos dois aviões de combate a incêndio florestal e cinco bombas-tanque, que transportam 5.000 litros de água.

“Nós, governadores da Amazônia Legal, somos defensores incondicionais do Fundo Amazônia. Já informamos oficialmente ao presidente da República e às embaixadas da Noruega, Alemanha e França, através de audiência e durante o Fórum em Palmas, que o Consórcio Interestadual de Desenvolvimento Sustentável da Amazônia Legal estará dialogando diretamente com os países financiadores do Fundo”,  afirmou, em nota, o governador do estado, Mauro Mendes (DEM).

Poluição do ar e doenças respiratórias Quadro conceitual

Os estudos têm adotado o quadro conceitual da avaliação da exposição humana. A exposição consiste em contato entre a pessoa e uma concentração específica de contaminante ambiental, num determinado período de tempo (CxT). A presença de um poluente no ar é evidência da exposição humana. A exposição pessoal é a presença de um poluente na zona de respiração de um indivíduo. Dose inalada ou potencial é o produto da concentração do poluente no ar e o volume de ar inspirado.

Tais conceitos têm implicações sobre a saúde. A exposição total de um indivíduo dependerá do tempo despendido em diferentes microambientes e nos padrões de atividade. Por exemplo, exercícios aeróbicos podem levar a uma maior dose inalada; crianças também recebem dose potencialmente maior que os adultos porque aquelas apresentam maior ventilação por massa corporal que estes e geralmente são mais ativas e passam mais tempo em áreas externas (Commitee of the Environmental…, 1996).

Os estudos que vêm sendo realizados tiveram duas abordagens: toxicológica e epidemiológica.

Jornalista e redator na Empresa O Pantanal OnLine, sob o número 0002048/MT, em 21/08/2014, conforme processo nº 46210.001548/2014-14

Qual é a sua Opinião?