Pela 2ª vez Justiça inocenta Dr. Robson Medeiros de acusações de trabalho escravo.

Advogado foi absolvido de todas as acusações

Preso em julho de 2017 sob acusação de manter “trabalhador escravo” em sua fazenda em Colniza (1.065 km a noroeste de Cuiabá), o advogado Robson Medeiros, 43, já havia sido inocentado pela Polícia Federal (PF) que assumiu o caso no final de outubro daquele ano depois que a Justiça Federal decretou a prisão preventiva do jurista e seu ex-sogro Lelui Antonio Pertile Bombarda, 73, a pedido do delegado Edison Ricardo Pick, da Polícia Civil.

O Relatório assinado pelo delegado da PF, Marcellus Henrique de Araújo, afirmava que ao término das investigações não ficou caracterizado a prática do crime disposto no artigo 149 do Código Penal Brasileiro. Na investigação foram ouvidos os acusados, a esposa do advogado, funcionários da fazenda e até uma funcionária de um hospital e todos afirmaram que o deficiente João Pereira Ramos não era funcionário na fazenda onde vivia de favor em razão de sua relação com a família e seu estado de saúde, bastante debilitado.

Inicialmente, as investigações da Polícia Civil atribuíam ao advogado a prática de vários crimes como maus-tratos, sequestro e cárcere privado, redução à condição análoga à de escravo.

Vejam bem o Tribunal Regional do Trabalho, 23ª região havia movido uma ação civil pública, uma ação de dano coletivo e o Juiz do Trabalho Ediandro Martins inocentou o Dr. Robson Medeiros de todas as acusações.

Em entrevista ao Site O Pantanal OnLine Medeiros afirmou sempre acreditar na justiça e que sempre foi um cidadão de bem e trabalhador. “Eu fui perseguido, tentaram destruir a minha imagem e de toda minha família, isso foi clara perseguição politica, mas agora iremos tomar todas as medidas judiciais cabíveis, iremos entrar com pedido de indenização por dados morais e também queremos que todos os envolvidos nessa armação criminosa sejam punidos com todo rigor da lei”. Afirmou Medeiros

Jornalista Renato Pantanal

Jornalista e redator na Empresa O Pantanal OnLine, sob o número 0002048/MT, em 21/08/2014, conforme processo nº 46210.001548/2014-14

You May Also Like

Qual é a sua Opinião?