Em greve há mais de um mês, profissionais da Educação acampam na frente da Assembleia Legislativa de MT

O executivo declarou que não tem como conceder o aumento de 7,5%, e que, o pagamento da RGA pode estourar o limite da Lei de Responsabilidade Fiscal.

Cerca de 200 profissionais da Educação estão acampados em frente a Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT) como forma de protesto por melhorias no setor nesta terça-feira (2). Os profissionais estão em greve há mais de um mês.

Um dos representantes do Sindicato dos Trabalhadores no Ensino Público de Mato Grosso (Sintep-MT), Gilmar Soares Ferreira, disse que eles vão permanecer no local até o fim da sessão ordinária desta terça-feira e retornam na manhã desta quarta-feira.

Entre as reivindicações estão concessão do pagamento de 7,6% de aumento aos professores e o pagamento da Revisão Geral Anual (RGA), o pagamento de 1/3 de férias proporcional para os professores contratados, além da concessão de licença-prêmio e licença para qualificação profissional, chamamento do cadastro reserva dos profissionais da educação do último concurso público, cronograma de obras para a reforma das unidades escolares.

O executivo declarou que não tem como conceder o aumento de 7,5%, e que, o pagamento da RGA pode estourar o limite da Lei de Responsabilidade Fiscal.

Os profissionais da educação estão em greve desde o dia 27 de maio e querem, entre outras reivindicações, o cumprimento da lei que prevê a dobra do poder de compra da categoria até 2023, além da contratação dos aprovados no concurso.

Jornalista Renato Pantanal

Jornalista e redator na Empresa O Pantanal OnLine, sob o número 0002048/MT, em 21/08/2014, conforme processo nº 46210.001548/2014-14

You May Also Like

Qual é a sua Opinião?