PM de Cotriguaçu identifica quadrilha que furtava gado em Cotriguaçu; dois são presos

Em mais um brilhante trabalho da Polícia Militar de Cotriguaçu, no Mato Grosso, uma guarnição policial identificou uma suposta quadrilha que praticava furtos de gado na região provocando enorme prejuízo aos pecuaristas e produtores.

A ação criminosa foi descoberta ontem quando policiais militares em rondas pela zona rural de Cotriguaçu, nas proximidades da Linha Gaúcha, onde abordaram um caminhão VW – 13.180 – 2000/2000 de cor branca e placas GSV-9503,  da cidade de Sinop, onde o mesmo estava carregado de bovinos num total de 26 cabeças entre novilhas e vacas parida com bezerros.

No momento da abordagem foi solicitado do motorista do caminhão, Samuel Santos Pimenta, o documento de GTA (Guia de Transporte Animal), onde o condutor disse não estar em posse dela.

Diante dos fatos o caminhão com a carga viva foi levado até a delegacia da cidade de Cotriguaçu, uma vez que na região tem aumentado bastante denúncias de possíveis furtos de bovinos.

Samuel disse aos policiais que teria carregado o caminhão no sítio do senhor Marxsiel De Souza Braga, de 26 anos, que possui uma propriedade na Linha CDR9 km 38, nas margens da estrada, e que a carga de gado seria vendida a uma pessoa por nome de Júnior morador da linha Gaúcha.

A polícia então localizou Marxsiel e pediu que o mesmo confirmasse a origem dos animais que haviam sido embarcados em sua propriedade, onde então Marxsiel contou que os animais eram produtos de furto, proveniente de uma fazenda do senhor João Fai,  localizada na MT 170 km 22, saída para o distrito de Nova União, e confessou que os furtos ocorreram em três etapas, onde na primeira etapa estavam participando além de Marxsiel e também Sidimar Dos Santos Souza de 21 anos, (vulgo Cabelinho).

Os policiais militares descobriram que na terceira etapa do furto estavam presentes além dele (Marxsiel), Paulo Cézar, Sedimar Dos Santos Souza e Mário Duarte, onde Marxsiel relatou que o primeiro furto ocorreu em fevereiro deste ano, sendo facilitado por Sedimar que trabalha na fazenda, onde o mesmo poderia ser encontrado na localidade e ou em sua residência no bairro planalto que fica no bairro Planalto 1, região central.

De posse das informações a guarnição saiu em busca de Sedimar Dos Santos Souza, que confessou trabalhar na fazenda do senhor João Fai, e assumiu ser um dos participantes no furto dos animais, e deu detalhes de como fazia para que o furto de gado fosse realizado com sucesso, dizendo que abria a porteira da fazenda do senhor João Fai e passava o gado para uma fazenda que ficava em frente, sendo esta de propriedade do suspeito Mário Duarte que é sogro do suspeito Marxsiel De Souza Braga.

Ao ser questionado sobre os demais suspeitos Sidimar informou que Paulo Cezar encontrava-se no distrito de Nova União e que Mário Duarte provavelmente estaria em sua fazenda, onde o gado furtado ficava escondido.

Sedimar foi questionado sobre um cheque em nome de Raone Cinelli, preenchido no valor de R$ 10.200.00 do Banco Bradesco pré-datado para o dia 24/05, ele afirmou que o cheque seria de Paulo Cézar, provenientes de vendas de gado furtado.

O proprietário da fazenda que teve o gado furtado, senhor João Fai, foi comunicado e compareceu na companhia de policiamento onde fez o reconhecimento da marca do gado, sendo todos de sua propriedade, e relatou que já havia dado por falta de mais de 300 cabeças de gado de sua propriedade.

Durante as investigações o gado foi levado para uma chácara nos arredores da cidade, pois os animais estavam cansados e corriam risco de vida.

Diante da confissão do acusado, a polícia militar conduziu os suspeitos para a delegacia municipal de Cotriguaçu para os procedimentos de praxe.

Fonte:
Juína News

Jornalista Renato Pantanal

Jornalista e redator na Empresa O Pantanal OnLine, sob o número 0002048/MT, em 21/08/2014, conforme processo nº 46210.001548/2014-14

You May Also Like

Qual é a sua Opinião?

%d blogueiros gostam disto: