Garotas que estavam desaparecidas são mortas com sinais de tortura em lavoura e polícia investiga crime em MT

Uma das vítimas estava grávida de 3 a 4 meses, segundo legista informou ao delegado. Funcionários da fazenda encontraram os corpos das vítimas, que estavam desaparecidas desde o dia 24 de abril.

A Polícia Civil investiga o caso de duas adolescentes, ambas de 16 anos, encontradas mortas em uma lavoura de algodão no município de Sapezal, a 473 km de Cuiabá. Segundo a Polícia Civil, Marya Eduarda e Tainara Santos estavam desaparecidas desde o dia 27 de abril e foram achadas mortas nessa sexta-feira (3).

O delegado da Polícia Civil responsável pela investigação, Valmon Pereira da Silva, disse ao G1 que o caso é complexo e possivelmente as vítimas tinham envolvimento com pessoas ligadas ao crime organizado. Tainara estava grávida com aproximadamente 3 a 4 meses de gestação.

Os corpos estavam em meio a uma lavoura e tinham sinais de tiros. Funcionários de uma fazenda encontraram os corpos e ligaram para a polícia.

Postagem da família informando o desaparecimento das adolescentes — Foto: Facebook/Reprodução

Postagem da família informando o desaparecimento das adolescentes — Foto: Facebook/Reprodução

Até este sábado (4) nenhuma pessoa foi presa ou identificada suspeita de envolvimento nos assassinatos.

Valmon trabalha com a hipótese de um possível acerto de contas. A mãe de uma delas procurou a polícia e disse que elas não eram mais vistas desde o dia 27 do mês passado.

“Tinham marcas de tiros e com sinais de que foram torturadas antes de serem mortas. Uma das jovens estava grávida. De acordo com o médico legista, ela estava entre três a quatro meses de gestação”, comentou o delegado ao G1.

Ainda conforme a Polícia Civil, as duas adolescentes já foram conduzidas diversas vezes à delegacia por suspeita de envolvimento em crimes.

“A Polícia Civil pede para que os pais fiquem atentos em relação às más companhias”, alertou o delegado.

Exames da Perícia Oficial e Identificação Técnica (Politec) devem confirmar a causa da morte.

Os corpos foram levados ao Instituto Médico Legal (IML) de Campo Novo do Parecis, a 397 km de Cuiabá. O enterro das vítimas ocorreu na manhã deste sábado em Sapezal.

Jornalista Renato Pantanal

Jornalista e redator na Empresa O Pantanal OnLine, sob o número 0002048/MT, em 21/08/2014, conforme processo nº 46210.001548/2014-14

You May Also Like

Qual é a sua Opinião?

%d blogueiros gostam disto: