“Clima de Guerra na Magali” – Posseiros se recusam a sair de propriedade de Riva em Colniza

Desde a última terça-feira (26), oficiais de Justiça tentam retirar as famílias que tomaram posse da fazenda Bauru, de propriedade do ex-deputado José Riva, em Colniza (1.065 km a noroeste de Cuiabá). De acordo com informações da polícia, cerca de 120 pessoas continuam no local, incluindo idosos e crianças.

Conforme decisão judicial, do juiz Carlos Roberto Campos, da 2ª Vara Cível Especializada em Direito Agrário, as famílias devem permanecer 10 km distantes da propriedade sob o argumento de evitar novos conflitos.

No dia 5 de janeiro deste ano, um posseiro morreu e 9 ficaram feridos depois de serem atingidos por seguranças do ex-deputado. A princípio, o caso era considerado como um conflito, contudo, a Polícia Judiciária Civil constatou que os projéteis encontrados no local eram somente das armas dos seguranças.

Tentativa de desocupação durou até esta quinta-feira (30), mas as famílias se recusaram a sair do local. A multa em caso de descumprimento é de R$ 1 mil. Com cartazes, eles protestaram contra a decisão judicial.

“Está todo mundo em paz, não tem uma pessoa aqui para dizer que a gente requer risco para ninguém, só o juiz que falou. Aqui só tem família, pai de família, criança. Como a gente vai para uma rodovia? Eles deixaram a gente ficar aqui e agora querem tirar”, afirmou uma mulher.

“Senhor Riva, esqueceu de quantas vezes esse povo batalhadores e sofredores votou em você?”, diz o cartaz de outra manifestante.

Fazenda

Fazenda foi citada em delação premiada pelo ex-governador Silval Barbosa. Segundo ele, a propriedade foi negociada pela quantia de R$ 18 milhões. O ex-governador delatou que em 2012 foi procurado por Riva. Houve uma proposta para compra do terreno em sociedade. Silval chegou a realizar o pagamento de parte, mas a área não foi transferida para o seu nome ou de familiares.

A Fazenda Bauru esta sob posse da empresa Floresta Viva, propriedade de Riva. A dona anterior, conhecida como Magali, briga na Justiça para retomar o terreno. O argumento é que a transação de compra e venda não foi totalmente paga. O assunto acabou judicializado. Liminarmente, Riva se sagrou vencedor. Caso ainda será julgamento em seu mérito (sentença).

De acordo com o Ministério Público Estadual (MPE), a Fazenda Agropecuária Bauru vem sofrendo invasões desde o ano 2000 e que, após a reintegração de posse ocorrida em 2017, as ameaças se intensificaram até culminar com a invasão do grupo que tomou as terras à força.

Jornalista Renato Pantanal

Jornalista e redator na Empresa O Pantanal OnLine, sob o número 0002048/MT, em 21/08/2014, conforme processo nº 46210.001548/2014-14

You May Also Like

Qual é a sua Opinião?