Gaeco cumpre mandados na Secretaria de Saúde de MT e em SP contra fraudes em cirurgias oftalmológicas

Operação investiga indícios de que o estado pagou por cirurgias de catarata não realizadas. Justiça determinou o bloqueio de bens do secretário de Saúde e a suspensão de contrato com empresa que realizou cirurgias na Caravana da Transformação.

O Grupo de Atuação e Combate ao Crime Organizado (Gaeco) cumpre mandados de busca e apreensão na Secretaria Estadual de Saúde (SES), no Centro Político Administrativo, em Cuiabá, e em Ribeirão Preto (SP), nesta segunda-feira (3).

A operação, denominada Catarata, é coordenada pelo Núcleo de Defesa do Patrimônio Público de Cuiabá, do Ministério Público de Mato Grosso, e investiga indícios de que o estado pagou por cirurgias de catarata não realizadas.

O mandado de busca e apreensão deve ser cumprido na empresa 20/20, cuja sede fica em Ribeirão Preto, responsável pela Caravana da Transformação, mutirão de cirurgias realizadas no estado.
Os mandados de busca e apreensão foram deferidos pela juíza Célia Vidotti, da Vara de Ação Civil Pública e Ação Popular de Cuiabá.

A magistrada também acatou o pedido do MPE e determinou a suspensão do contrato e o pagamento de quaisquer valores à empresa responsável pelos serviços de oftalmologia.

Foi decretada ainda a indisponibilidade de bens do secretário estadual de Saúde, Luis Soares, e do proprietário da empresa.

Nesta segunda-feira, o Núcleo de Defesa do Patrimônio Público deve colher depoimentos de pessoas envolvidas no caso.
A caravana

O programa Caravana da Transformação foi implantado pelo governo de Mato Grosso em 2016, visando zerar as filas de cirurgias oftalmológicas em todo o estado. A caravana ofereceu consultas, exames e cirurgias de catarata, pterígio e yag laser. Foram 14 edições em dois anos.

Jornalista Renato Pantanal

Jornalista e redator na Empresa O Pantanal OnLine, sob o número 0002048/MT, em 21/08/2014, conforme processo nº 46210.001548/2014-14

You May Also Like

Qual é a sua Opinião?