‘Quero voltar a trabalhar’, diz mulher que teve as mãos decepadas pelo marido em MT e pede doação de prótese

Geisiane Buriola da Silva, de 32 anos, teve as duas mãos decepadas pelo marido com facão. O marido dela foi preso e alegou que a flagrou aos beijos com suposto amante.

A rotina de Gesiane Buriola da Silva, de 32 anos, nunca foi a mesma desde abril do ano passado. A moradora de Campo Novo do Parecis, a 397 km de Cuiabá, teve as duas mãos decepadas pelo marido durante uma briga do casal. Apesar do trauma, ela tenta se adaptar e levar uma vida normal.

“Para comer um pão ou pegar um copo, preciso dos dois braços. Não é como antes que eu fazia apenas com uma mão. Preciso de ajuda, não sei mais o que fazer”, afirmou.

A tentativa de feminicídio ocorreu depois que Jair da Costa, à época marido de Gesiane, alegou ter flagrado a mulher com outro. Desde então, ele está preso na Cadeia Pública daquele município.

Depois de um ano em adaptação Geisiane já consegue realizar algumas atividades domésticas. No entanto, ela ainda possuí algumas limitações e sofre alguns acidentes ocasionados pela falta das mãos.
“Quero voltar a estudar, trabalhar e conseguir dinheiro para ajudar a minha família, porque eu não sei o que vou fazer”, contou chorando.

Com as dificuldades, a filha de Geisane, Giovana Buriola, de 6 anos, é quem ajuda a mãe a cuidar do corpo e nos serviços domésticos.
“Limpo casa, lavo a louça, penteio o cabelo e passo perfume nela”, contou Giovana.
Ajuda

A família de Geisiane pede ajuda para pagar uma consulta com um especialista que indique uma prótese adequada para ela. A única renda da família são os ‘bicos’ que o padrasto dela faz.

Geisiane passou por um longo período de tratamento e permaneceu mais de 20 dias internada em uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

Quando recebeu alta médica, ela usou uma prótese provisória,mas o material era muito rígido e o equipamento logo quebrou.

“Quero uma prótese que funcione os dedos e que movimente, principalmente para eu conseguir ir ao banheiro, tomar banho, é isso que eu quero”, relatou.

A perda das mãos

Geisiane teve as duas mãos arrancadas com um facão pelo marido dela, em abril de 2017. À polícia, ele alegou que saiu para beber com os amigos e quando voltou, encontrou a mulher com outro homem, na sala da residência.

Com ciúmes, ele teria agredido a mulher, que tentou correr para a rua. Em seguida, pegou um facão e correu atrás dela. Ao tentar proteger o rosto com as mãos, elas foram cortadas.

As agressões só pararam quando os vizinhos interviram e seguraram o marido de Geisiane, que foi preso.
Ele também teria confessado que a intenção era matá-la.

Jornalista Renato Pantanal

Jornalista e redator na Empresa O Pantanal OnLine, sob o número 0002048/MT, em 21/08/2014, conforme processo nº 46210.001548/2014-14

You May Also Like

Qual é a sua Opinião?

%d blogueiros gostam disto: