Colniza – MT: Justiça marca depoimento de falsa médica e marido acusados de planejar morte de prefeito

Yana Fois Alvarenga é mulher do empresário Antônio Pereira, apontado como mandante do crime. Esvandir Mendes foi morto dentro de caminhonete em dezembro do ano passado.

 A Justiça de Mato Grosso marcou para agosto deste ano a primeira audiência de instrução da falsa médica Yana Fois Coelho Alvarenga e do marido dela, Antônio Pereira Rodrigues Neto, acusados de planejarem a morte do prefeito de Colniza, a 1.065 km de Cuiabá, Esvandir Mendes.

O crime ocorreu em dezembro do ano passado. Esvandir foi morto quando voltava da zona rural do município quando foi perseguido pelos executores e assassinado.

Yana e o marido estão presos há cerca de seis meses. O depoimento dos dois foi designada pela juíza Daiane Marilyn Vaz, da Vara Única de Colniza.

Na ocasião, também devem ser ouvidas testemunhas de defesa também devem ser ouvidas.
Yana e o marido são apontados pelo Ministério Público Estadual como mandantes do crime. Os dois respondem pelos crimes de organização criminosa, e homicídio qualificado por motivo fútil e promessa de recompensa.

De acordo com o órgão, antes de ser assassinado, Esvandir havia dito, de maneira informal, que não renovaria o contrato com Yana e que convocaria aprovados em concurso. Yana não era concursada e prestava serviços para a prefeitura.

Posteriormente, entretanto, foi descoberto que Yana falsificou diplomas.

Mesmo com o diploma falso, Yana foi contratada pela prefeitura de Colniza a atuava no Hospital Municipal André Maggi. Ela estava trabalhando no dia em que o Esvandir foi morto.

A falsa médica tinha conhecimento da “trama criminosa” e prestou o auxílio necessário para a execução do prefeito, conforme o MPE. A investigação apontou também que Yana apresentou os dois executores ao marido e providenciou a fuga deles.

Morte de prefeito

Esvandir foi morto no dia 15 de dezembro quando voltava da zona rural do município. Ele foi perseguidos pelos suspeitos que estavam em um SUV de cor preta. Após os disparos, o prefeito ainda conseguiu dirigir e chegar no perímetro urbano.

O corpo de Esvandir foi levado para Rondônia, onde foi sepultado. Primeiro, foi realizado um velório, no ginásio municipal de Colniza, e depois o corpo foi levado para Ji-Paraná (RO). Várias pessoas acompanharam o velório na cidade e se emocionaram.

Jornalista Renato Pantanal

Jornalista e redator

You May Also Like

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *