Condutor afirma à polícia que lancha que causou acidente em Angra estava com problema no acelerador

De acordo com Polícia Civil, marinheiro disse que se desequilibrou, caiu e perdeu o controle da lancha. Quatro pessoas ficaram feridas na Lagoa Azul.

A Polícia Civil de Angra dos Reis, RJ, afirmou que o condutor da lancha que atropelou banhistas nesta sexta-feira (30) na Ilha Grande, em Angra, disse em depoimento que a embarcação estava com um problema no acelerador.

De acordo com o Delegado Titular da 166ª DP, Bruno Gilaberte, o marinheiro disse que se desequilibrou, caiu e perdeu o controle da lancha. A polícia trabalha com duas linhas de investigação da causa do acidente.

Ainda de acordo com a polícia, a maioria das testemunhas em depoimento apontou que a embarcação ia na direção das pedras e o condutor desviou, atingindo os banhistas. A segunda hipótese é de que houve o agravamento no sistema de aceleração e ele desviou.

Ainda segundo a polícia, o exame do bafômetro comprovou que o condutor não estava alcoolizado. Ele é morador de Angra dos Reis, havia alugado a lancha e afirmou que o problema no acelerador já havia sido relatado anteriormente para o proprietário.

O marinheiro foi autuado por duplo homicídio culposo e dupla lesão corporal culposa. O caso foi registrado na 166ª Delegacia de Polícia (Angra dos Reis).

Até a publicação desta reportagem, ele estava detido sob liberação de fiança.

Em nota, a Marinha informou que “notificou o condutor, apreendeu a embarcação para perícias e reteve o documento de habilitação do condutor para averiguações posteriores, conforme previsto na Lei de Segurança do Tráfego Aquaviário (Lei 9.537/97) e nas Normas da Autoridade Marítima (NORMAM)”.
Vítimas tiveram ferimentos graves e dedos dos pés amputados

As duas mulheres que sobreviveram após serem atropeladas pela lancha tiveram ferimentos graves e dedos dos pés amputados. Elas estão internadas e passaram por cirurgia no Hospital Geral da Japuíba.

Segundo a unidade médica, as duas foram identificadas como Natacha de Oliveira Soares, de 27 anos, e Camila Martinez Precoma, de 30 anos. O estado de saúde delas é estável e elas não correm risco de vida.

Ao todo, quatro banhistas foram atropelados na região da Ilha Grande conhecida como Lagoa Azul. Três de São José dos Campos, SP, e um do Rio de Janeiro. Elas estavam em um passeio de barco.

De acordo com a Polícia Civil, Alexandre da Silva Leite, de 43 anos, morreu no local e Walquíria de Almeida Barros, de 29 anos, chegou a ser socorrida mas não resistiu aos ferimentos. O homem teve cortes no corpo todo e a mulher, cortes profundos nas pernas.

Jornalista Renato Pantanal

Jornalista e redator

You May Also Like

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *