Polícia Civil prende padrasto por estuprar menina desde os 7 anos

‘Demônio, maníaco, monstro’, diz delegado sobre suspeito de abusar de enteada por quase 7 anos em MT

Um padrasto acusado de estupro de vulnerável foi preso nesta terça-feira (20.03), no município de Aripuanã (1.002 km Noroeste), pela Polícia Judiciária Civil, em cumprimento de mandado de prisão preventiva.

Valdir de Oliveira teve a ordem judicial representada pela Delegacia de Polícia de Aripuanã,  por estupro de vulnerável majorado.  A  investigação apurou que os abusos sexuais foram praticados contra sua enteada, atualmente com 13 anos.

O suspeito era casado com a mãe da vítima, a qual era constantemente ameaçada e agredida pelo companheiro. Quase completando 14 anos de idade, a menina tinha apenas 7 anos quando as agressões sexuais do  padrasto começaram.

No início, Valdir induzia a criança para levar sabonete a ele durante o banho. Em seguida passou a obrigar a enteada a tocar no seu órgão genital. Porém, ao longo dos setes anos de constrangimentos, os abusos não cessavam e eram praticados sempre quando a mãe não estava em casa.

No decorrer do inquérito policial instaurado, várias testemunhas foram ouvidas. Em declaração, a vítima revelou como o padrasto agia. A menina realizou exame de corpo delito e laudo  pericial confirmou a violência sexual.

Diante dos indícios e materialidade de autoria, a Polícia Civil representou na sexta-feira (16), pelo pedido de prisão preventiva do padrasto. O mandado judicial foi deferido pela Vara Única da Comarca de Aripuanã, na segunda-feira (19), e cumprido pelos policiais civis nesta terça-feira (20).

Após ser notificado da ordem de prisão, Valdir foi levado para Delegacia de Polícia, onde foi interrogado pelo delegado Alexandre da Silva Nazareth. O criminoso foi recolhido e colocado à disposição da Justiça.

Jornalista Renato Pantanal

Jornalista e redator

You May Also Like

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *