Jornalista Renato Pantanal 22 de Janeiro de 2018

Andréia Paula de Carli, de 36 anos, foi presa nesta segunda-feira (22), por suspeita de ser a mandante do assassinato do padrasto, em agosto de 2017.

A jovem Andréia Paula de Carli, de 36 anos, presa nesta segunda-feira (22), em Cuiabá, suspeita de mandar matar o padastro dela, Nivaldo Francisco Araújo, de 58 anos, para ficar com a casa dele deve cumprir prisão temporária por 30 dias. As informações são da Polícia Civil.
Nivaldo foi morto a tiros, em agosto do ano passado, no Bairro Cristo Rei, em Várzea Grande, região metropolitana da capital. O G1 não conseguiu localizar a defesa de Andréia.
Segundo a polícia, Andréia teria ordenado o crime porque estava interessada em ficar com a casa dele. A vítima trabalhava com a venda de salgado. No dia da morte, ele atendia um cliente quando foi surpreendido com cinco disparos.
De acordo com a delegada Ana Cristina Feldner, da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), que investiga o caso, Andréia chegou a falar para alguns parentes do padrasto que ele tinha que morrer.
Andréia está detida e deve cumprir a prisão na Penitenciária Ana Maria do Couto May. Ela deve ser ouvida pela polícia nesta segunda-feira. A prisão temporária pode ser prorrogada por mais 30 dias ou convertida em preventiva.
Ameaças e perseguição

Além de ser suspeita de mandar matar o padrasto, Andréia teria ameçado e perseguido a enteada dela, filha do marido falecido em 2014. A suspeita é de que ela também planejava mandar executar a enteada com o mesmo objetivo: ficar com a casa herdada por ela.
Andréia já teria mandado bilhetes com ameças e perseguido a enteada com uma arma.

Leave a comment.

Your email address will not be published. Required fields are marked*