Jornalista Renato Pantanal 9 de Janeiro de 2018

Yana Fois Alvarenga é mulher do empresário Antônio Pereira, apontado como mandante do crime. Esvandir Antonio Mendes foi assassinado dentro de caminhonete em dezembro.

O Ministério Público de Mato Grosso (MPE) notificou a prefeitura de Colniza, a 1.065 km de Cuiabá, pedindo a anulação do contrato da médica Yana Fois Coelho Alvarenga, acusada de ajudar o marido a planejar a morte do prefeito Esvandir Antonio Mendes. Ela está presa desde o dia 26 de dezembro e, recentemente, teve um habeas corpus. O G1 não consegiu localizar a defesa dela.

De acordo com o MP, antes de ser assassinado, Esvandir havia informado – de maneira informal – que não renovaria o contrato com a médica e que convocaria aprovados em concurso. Yana não era concursada e prestava serviços para a prefeitura.

A médica havia sido desclassificada do edital, por não ter obtido nota de corte para o cargo de médico clínico geral.

Yana é mulher do empresário Antônio Pereira Rodrigues, apontado como mandante do homicídio. Ela o marido e mais dois foram denunciados por participação no crime.

Em recente decisão, o juiz Ricardo Nicolino de Castro, da Comarca de Porto dos Gaúchos, a 644 km de Cuiabá, negou habeas corpus a Yana e afirma que ela tinha conhecimento da “trama criminosa” e que prestou o auxílio necessário para a execução do prefeito.

A investigação aponta que Yana apresentou os dois executores ao marido e providenciou a fuga deles. Yana está presa na Penitenciária Ana Maria do Couto May, em Cuiabá.

Com a denúncia do MP, além da médica e do marido dela, viraram réus Zenilton Xavier de Almeida e Welison Brito da Silva, apontados como executores. O G1 não conseguiu localizar defesa deles.

Morte de prefeito
Esvandir foi morto no dia 15 de dezembro quando voltava da zona rural do município. Ele foi perseguidos pelos suspeitos que estavam em um SUV de cor preta. Após os disparos, o prefeito ainda conseguiu dirigir e chegar no perímetro urbano.

O corpo de Esvandir foi levado para Rondônia, onde foi sepultado. Primeiro, foi realizado um velório, no ginásio municipal de Colniza, e depois o corpo foi levado para Ji-Paraná (RO). Várias pessoas acompanharam o velório na cidade e se emocionaram.

Os denunciados também vão responder por tentativa de homicídio qualificado contra o secretário de Finanças do município, Admilson Ferreira dos Santos, 41 anos, que estava no veículo junto com o prefeito e também foi baleado.

Leave a comment.

Your email address will not be published. Required fields are marked*